sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Drogas II - Cola de Sapateiro

Quais os efeitos da inalação da cola de sapateiro?
Resposta:
A cola de sapateiro, um produto de baixo preço e comercializado com facilidade, contém solvente, uma substância altamente volátil e que, por isso, pode ser facilmente inalada, isto é, introduzida no organismo através da aspiração pelo nariz ou pela boca. Ela pode ser consumida involuntariamente (por trabalhadores da indústria ou de oficinas, por exemplo), ou de forma voluntária por pessoas que desejam sentir os seus efeitos, como estudantes ou crianças de rua que a inalam, geralmente, para diminuir a sensação de dor, de frio e de fome. A cola de sapateiro está classificada entre as drogas "depressoras do sistema nervoso central" e os seus efeitos, como os dos demais inalantes podem ser divididos em quatro fases: 1ª fase: Excitação, que é a desejada, na qual a pessoa fica mais eufórica, ocorrendo também tonturas, perturbações auditivas e visuais, náuseas, espirros, tosse, salivação e rubor nas faces. 2ª fase: Depressão inicial do cérebro - sistema nervoso central (SNC), que deixa a pessoa confusa, desorientada, com a voz pastosa, a visão embaçada e com perda de autocontrole, dor de cabeça e palidez. 3ª fase: Aprofundamento da depressão do cérebro (SNC), com redução acentuada do estado de alerta, incoordenação ocular e motora, fala engrolada, reflexos deprimidos, podendo haver alucinações. 4ª fase: Depressão profunda do SNC (sistema nervoso central), que pode levar à inconsciência, queda de pressão, sonhos estranhos, convulsões e, em certos casos, ao coma e à morte. A inalação freqüente de cola de sapateiro pode levar à dependência, sendo bastante evidentes os seus componentes psíquicos, como o desejo de usar e a perda de outros interesses. O uso crônico desta substância pode causar problemas irreversíveis no cérebro, apatia, dificuldade de concentração e déficit de memória, além de lesões na medula óssea, fígado, rins e nervos periféricos.
Fonte: www.einstein.br/alcooledrogas)/Programa Álcool e Drogas (PAD) do Hospital Israelita Albert Einstein

Um comentário:

Edna Borba disse...

Olá, Valdeci. Parabéns pela postagem. É realmente alarmante o número de crianças em situção de rua que fazem uso da cola de sapateiro. Gostaria de saber com vc se existe algum trabalho que trate esse material para inibir o cheiro q ele tem e que provoca essa necessidade de inalação por parte dos usuários. Obr. pela oportunidade.